Busca

Erro
  • Erro ao carregar dados do feed

Empresários de SC integram missão brasileira voltada à indústria da moda

 Iniciativa é promovida pela FIESC e CNI. Delegação com industriais de 11 Estados inicia nesta terça-feira (26) participação na feira Colômbiamoda 2016, em Medellín


Florianópolis, 26.7.2016 – Empresários de Santa Catarina e mais dez Estados participam da Colombiamoda 2016, principal mostra de produtos e tendências para confecções, têxteis e moda da Colômbia e da América Latina, realizada em Medellín. A exposição reúne 1,6 mil compradores internacionais e mais 4 mil da Colômbia. A missão, realizada pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), se iniciou no dia 24 e segue até o dia 30 de julho. Fóruns e conferências realizados paralelos à Colombiamoda vão promover debates sobre as tendências do setor, com a participação de estrategistas de diversos países.

Nesta segunda-feira (25), o grupo brasileiro realizou visita técnica à Creytex, empresa familiar fundada há 45 anos, em Medellín. O processo produtivo da companhia integra desde a tecelagem, estamparia, bordado, corte, fabricação até a distribuição dos produtos. A empresa se destaca pelos investimentos em pesquisa e pela implementação de alta tecnologia. Entre os principais clientes estão Champion, Columbia Sports Wear, Reef, Polo Ralph Lauren, Disney e Under Armour. A Creytex exporta para os Estados Unidos, Alemanha, México, Costa Rica e Equador, emprega cerca de 300 trabalhadores e produz mais de 350 mil unidades por mês.

Ainda nesta segunda-feira, a comitiva participou de seminário sobre oportunidades de negócios, parcerias e investimentos entre Brasil e Colômbia. O primeiro secretário da Embaixada do Brasil em Bogotá, Fábio Cereda Cordeiro, apresentou os principais números da economia do País andino: são 48,3 milhões de habitantes, dos quais 55% estão na classe média, com renda per capta de US$ 300 a US$ 1,5 mil. O Produto Interno Bruto (PIB) totalizou US$ 254 bilhões em 2015 e registrou crescimento de 3% no período. Este ano o crescimento da economia deve ser de 2,5%. Cordeiro destacou que a Colômbia importa algodão, têxteis e confecções e há oportunidades para o Brasil nesssa área. Durante o encontro, o diplomata apresentou uma lista com os principais importadores colombianos.  


 

 


 


Assessoria de Imprensa da FIESC

 

Informações Adicionais